O que está buscando?

Sesi-SP premia Campeões da Indústria 2020 em grande encontro esportivo

Mais de 400 atletas de 20 modalidades lotaram o Teatro do Sesi-SP em dia de comemorações e expectativas para os Jogos Olímpicos de Tóquio

 Por: Amanda Demétrio, Núcleo de Comunicação
10/03/202018:25- atualizado às 19:19 em 10/03/2020

“Isso tudo me orgulha muito. Não tem milagre, o negócio é trabalho, dedicação e suor, é assim que se constrói tudo nessa vida”. Foram com essas palavras que Paulo Skaf, presidente do Sesi-SP, resumiu o grande encontro do esporte da indústria. Com mais de 400 atletas de 20 modalidades, a instituição realizou nesta terça-feira (10), o Prêmio Campeões da Indústria.

O experiente Murilo Endres, do time de vôlei, presente no Sesi-SP desde 2009, foi o primeiro nome anunciado na premiação que reconheceu um atleta, um paratleta e um treinador que desempenham com afinco e amor seu papel de servir de exemplo para todas crianças e jovens. Exemplo não apenas dentro das quadras, pistas e piscinas, mas principalmente fora das arenas esportivas, levando essas lições para as escolas do Sesi-SP em todo o estado.

"Estou aqui desde 2009, praticamente mais da metade da minha carreira como profissional do vôlei. Vejo muitos atletas sonhando e eu com 38 anos já realizei muito na minha carreira. Pude representar o Brasil em Jogos Olímpicos e Campeonatos Mundiais. É um prazer enorme", afirmou.

Evelyn Oliveira, da bocha paralímpica, ficou com o prêmio na categoria Paratleta Campeã da Indústria. "Me sinto honrada de receber esse prêmio. Recebi uma oportunidade e pude crescer como pessoa. Com certeza esse troféu terá um espaço especial na minha estante, um lugar em que eu possa sempre ver e reviver todos esses momentos", comentou.

Entre os técnicos o vencedor foi Ronaldo Oliveira, que comanda o time feminino de vôlei sentado. "Ter esse reconhecimento do lugar onde você trabalha é sensacional. Estou há 20 anos no Sesi-SP, milito no esporte paralímpico todo esse tempo e estou muito feliz", disse o treinador, que chorou muito ao receber a homenagem.

Ayrton Vignola/Fiesp

 

Completando 10 anos de investimento no Esporte de Rendimento em 2019, o Sesi-SP é grande incentivador e apoiador do esporte brasileiro e sua importância no desenvolvimento esportivo como ferramenta educacional. A instituição conta atualmente com 621 atletas, que conquistaram mais de 600 títulos, sendo 95 internacionais. E para 2020, a expectativa é levar 58 profissionais para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, entre atletas olímpicos, paralímpicos e comissão técnica. Etiene Medeiros da natação, os triatletas Luísa Baptista e Manoel Messias, Alan Souza do vôlei, Evelyn Oliveira da bocha paralímpica, são alguns dos nomes que devem representar a instituição.

Emocionado ao subir no palco com os atletas olímpicos e paralímpicos do Sesi-SP, Skaf parabenizou a todos, principalmente o trabalho realizado pela instituição, de oportunizar pessoas.

“Hoje aqui, depois de ouvir as pessoas que nós ouvimos, depois de ver todos esses vídeos e de interagir com todos vocês, eu não tenho mais nada para falar. A única coisa é parabenizar a todos. É fácil pegar os campeões, as estrelas, ou até alguém que já deu sinais de talento, mas a indústria de São Paulo pega as crianças para dar oportunidades, seja no esporte, na educação de qualidade, ou em uma carreira profissional”.

“Eu estou aqui porque eu tenho prazer no que faço. Um evento como esse me paga para trabalhar mais dez anos de graça. São muitos momentos de muita emoção, não tem preço que pague tudo isso”, finalizou o presidente do Sesi-SP.

Para Paulo Wanderley Teixeira, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), presente no evento, "de quatro a oito modalidades olímpicas do Sesi-SP irão fornecer atletas para o Time Brasil. Muitos estão ainda em processo de classificação, mas o Sesi-SP será um dos principais fornecedores de atletas olímpicos em Tóquio".

Enquanto Mizael Conrado, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), enalteceu o trabalho da indústria paulista no cenário de inclusão. "Investir no esporte não é apenas no alto rendimento, é na transformação da sociedade. O esporte, inclusive o paralímpico, é inclusão e o Sesi-SP sabe fazer muito bem isso", afirmou.

Ao final do evento, Amyr Klink, navegador, escritor brasileiro e primeira pessoa a fazer a travessia do Atlântico Sul a remo a bordo do barco iate em 1984, se reuniu com atletas e ministrou uma palestra. Durante seus depoimentos e histórias, Amyr compartilhou um pouco do seu conhecimento e lições de vida para os atletas do Sesi-SP. Com mais de 2500 palestras proferidas em seu currículo, no Brasil e exterior, o navegador arrancou suspiros, risadas e reflexões do grupo.